Informações › NotíciasEconomia

Sexta, 09 de Fevereiro de 2018

Petrobras reduz do preço da gasolina em 3 por cento e ministro pede para investigar preços em postos de combustíveis

Petrobras reduz do preço da gasolina em 3% e ministro pede para investigar preços em postos de combustíveis

Em meio à discussão sobre a formação do preço dos combustíveis nos postos país afora, a Petrobras anunciou nesta quinta-feira, dia 8, a maior redução dos valores da gasolina e do diesel combustível de 2018.

A partir de amanhã, dia 9, os novos preços estarão 3% (gasolina) e 2,6% (diesel) mais baratos nas refinarias. Hoje (8), o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, solicitou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que apure o motivo de as constantes quedas dos preços dos combustíveis não serem repassadas para os consumidores.

“De fato hoje encaminhamos ao presidente do Cade uma solicitação para que a nova política que está sendo implementada pela Petrobras gere as consequências no bolso do consumidor; do brasileiro”, disse Moreira.

Segundo o ministro, durante muito tempo o país teve uma política de preço baseada no tabelamento, fato que teria gerado “uma série de hábitos culturais”. “Já a nova política é para beneficiar os consumidores, com a concorrência entre fornecedores. O consumidor tem o direito de escolher o preço mais baixo. Isso só se dá quando existe concorrência; quando não há cartel”, afirmou o ministro.

Investigação

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, informou que pediu ao presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Barreto, para investigar os preços praticados por postos de combustíveis. O ministro está preocupado com uma possível formação de cartel no setor.

Moreira Franco questionou o fato dos postos não reduzirem os preços quando a Petrobras diminui nas refinarias.

“O fornecedor é que fixa preço e o consumidor tem direito a escolher um preço mais baixo. O que nós estamos vendo é que quando há queda na Petrobras, ela não se reflete na bomba de gasolina.

O consumidor não está sendo beneficiado”, disse o ministro.

Na primeira semana do ano, a Petrobras reduziu os preços do diesel e da gasolina nas refinarias, respectivamente, em 3,5% e 2%. Em 13 de janeiro, a empresa diminuiu novamente os valores dos dois combustíveis em 0,7%.

No dia 18 do mesmo mês, a companhia anunciou nova queda para a gasolina, de 0,5%.

O Cade informou em nota que nesta tarde (8) foi protocolado o ofício da Secretaria-Geral da Presidência da República com o pedido para que “sejam tomadas as medidas necessárias para coibir práticas de cartel na venda de combustíveis”.

A nota ressalta “que, em cumprimento à sua função de zelar pela livre concorrência, o Cade monitora constantemente os mercados e apura eventuais indícios de infração à ordem econômica que detecta”.

O órgão informou ainda que no setor de combustíveis, investigou e julgou 17 casos de ilícitos concorrenciais nos últimos cinco anos, e que, “atualmente, há oito investigações em trâmite que apuram infração nesse mercado”.

“Em linha com a preocupação externada pela Secretaria-Geral da Presidência da República, o Cade planeja estudar, em conjunto com órgãos parceiros, formas coordenadas e sistemáticas de combate ao cartel em combustíveis”, diz a nota.

Fonte: http://www.leouve.com.br

Compartilhe:  
Comente esta notícia
‹ Voltar
Confira também:
Hotéis e Pousadas
Restaurantes
Vinícolas
Turismo